Aliados cada vez mais seguros registaram apenas duas ocorrências ligeiras no concerto de Diogo Piçarra

O concerto de Diogo Piçarra, ontem à noite nos Aliados, juntou cerca de 70 mil pessoas, naquele que foi um aquecimento para a noite de passagem do ano com fogo de artifício e Pedro Abrunhosa. O "recinto" está cada vez mais seguro e ontem apenas foi necessário a intervenção da protecção civil por duas ocasiões, ambas ligeiras.


A Avenida, que desde 2014 recebe grandes concertos e acontecimentos, sinalizando a passagem do ano no Porto como a mais procurada no País, está cada vez mais preparada para estes acontecimentos. Por um lado, têm sido retirados ou protegidos obstáculos que possam constituir risco, por outro, a prioridade é dada cada vez mais ao conforto do público, com casas de banho, mais meios de segurança e socorro, melhores transportes públicos, melhor som e imagem, mais informação e policiamento mais eficaz.


Por outro, toda a operação é controlada a partir do Centro de Gestão Integrada da Câmara do Porto, onde se concentram forças de segurança e proteção civil e serviços municipais, como os de mobilidade ou limpeza. Estes mecanismos permitem que, poucos minutos após encerrada a festa (esta noite isso aconteceu às 23,58 horas, de imediato entrem as equipas de limpeza, para que de manhã a avenida esteja limpa. Este ano foi também introduzido um sistema de copos reutilizáveis.


No espetáculo de ontem, apesar da forte afluência de público (70 mil pessoas), tudo correu com normalidade e, no final foram registadas apenas duas ocorrências ligeiras, devido a um desmaio com imediata recuperação e uma indisposição com transporte ao hospital.


A noite da passagem do ano envolve mais desafios, mas tudo está preparado para que seja a mais segura e também a mais divertida de sempre.