O CityLoops é um projeto liderado pelo ICLEI - Local Governments for Sustainability, financiado no âmbito do Horizonte 2020 (H2020), que se baseia na colaboração entre um conjunto de parceiros para a implementação de ações destinadas a aumentar a circularidade na utilização de materiais, com foco nos resíduos de construção e demolição e na matéria orgânica.


Assim, sete cidades europeias piloto, nas quais se inclui o Porto, irão desenvolver uma série de ações de demonstração e atividades com o objetivo de tornar os resíduos de construção e demolição (RCD) e os resíduos orgânicos em materiais circulares.


As fases do Projeto consistem na preparação, demonstração e replicação das estratégias a desenhar por cada cidade piloto, e com o desenvolvimento e teste de ferramentas e processos inovadores nas temáticas estudadas.


No caso do Porto, a participação no CityLoops tem como tema os resíduos orgânicos, nomeadamente a prevenção da sua produção e a promoção da recolha seletiva no setor residencial, no setor do turismo e em instituições de cariz social.


O projeto, com a duração de 4 anos, arrancou oficialmente em outubro de 2019, tendo já sido delineadas as linhas orientadoras para a estratégia a desenvolver. 


Uma das atividades a desenvolver no Porto consiste em dar continuidade ao projeto Orgânico, alargando-o a uma maior área do município, através da instalação de mais 120 contentores para deposição de resíduos orgânicos na via pública.

Todas as habitações das áreas de abrangência do projeto, são abordadas no âmbito da Campanha de Comunicação e Sensibilização, para divulgar e informar sobre a separação de resíduos orgânicos, e recebem um contentor de pequenas dimensões para uso individual bem como dois cartões de acesso aos contentores instalados na via pública.


Como complemento à recolha seletiva no setor residencial, irá ser implementado um modelo piloto que promove o tratamento local de biorresíduos, através da instalação de duas ilhas de compostagem inseridas em dois agrupamentos habitacionais da cidade, uma na zona do Amial e outra em Paranhos. A todos os que pretendam aderir e que residam na área de abrangência do projeto, será entregue um kit com um balde para a separação de biorresíduos e uma chave de acesso ao compostor instalado na ilha.


Uma outra vertente deste projeto consiste na promoção de modelos de circularidade no setor social e do turismo.

Este modelo irá ser aplicado a duas entidades distintas, uma no setor social e outra no setor do turismo com o objetivo de promover e implementar uma política de sustentabilidade e circularidade a nível ambiental e social.

Assim, serão estabelecidas uma série de medidas nestes espaços, que permitirão prevenir e reduzir o desperdício alimentar e consequentemente a produção de resíduos orgânicos.


Além das ações apresentadas, destaca-se também a implementação de um sistema de certificação a aplicar nos espaços verdes do Município, com o objetivo de promover a biodiversidade dos mesmos. O composto produzido no âmbito da valorização dos resíduos orgânicos será utilizado como fertilizante natural, promovendo assim as boas práticas no que respeita à sustentabilidade ambiental.




Para consultar mais informação sobre o projeto aceda ao site oficial aqui.

Galeria
Item 1 de 5